Blog Populares

Saiba como ser mais sustentável em casa


Em tempos onde as discussões sobre um mundo mais sustentável ganham cada vez mais notoriedade, a transformação das moradias em espaços que ajudem a diminuir a poluição do planeta é um mercado em desenvolvimento. Para assegurar uma residência mais sustentável, não é necessário realizar investimentos radicais, que fugiriam ao orçamento familiar.

Medidas mais simples, como a troca da descarga habitual por uma de duplo fluxo, auxiliam na redução do consumo de água, o que gera economia dentro das residências. Uma descarga sem o equipamento pode chegar a gastar até 12 litros a mais, em apenas um uso.

A designer de interiores Katarine Medeiros afirma que a medida é importante não somente por uma questão sustentável, mas financeira. “Fortaleza caminha lentamente na busca de soluções sustentáveis, mas estamos evoluindo. Recentemente, em conversa com pessoas que trabalham no segmento de energia renovável, foi relatado que o medo e desconhecimento dessa nova forma de geração de energia vem sido superado e, enfim, o público começa a buscar essa alternativa não só pela sustentabilidade, mas pela economia que representa ao longo dos anos”, conta.

Empresário do ramo de energia solar, Jens Raffelsieper atua no mercado cearense há cinco anos. Em 2017, ele afirma ter havido um aumento grande de solicitações para a implantação de fontes de energia solar nas residências. “O investimento é muito barato, pois se trata de um retorno de 3 a 4 anos. Os clientes normalmente pedem que a instalação complemente a energia, mas muitos pedem para cobrir totalmente o uso. A energia solar é um conceito modular, que você sempre pode aumentar conforme a necessidade. Somente este ano em Fortaleza, foram mais de 40 instalações, totalizando um volume 500 quilowatts”.
Para quem busca implementar algumas mudanças na residência, Katarine dá 10 dicas que podem ajudar os interessados, indo desde modificações leves até as que alteram a própria estrutura física das casas.

Dicas de Katarine Medeiros

1. Reutilização de águas do banho e lavagem de roupa
2. Coleta e armazenamento de água das chuvas
3. Descarga com duplo fluxo
4. Uso de tetos verdes sobre lajes e telhados
5. Implantação de sistema de energia renovável provenientes do sol ou vento (energia solar ou eólica)
6. Arquitetura voltada para ventilação natural
7. Utilização de revestimento permeáveis nas áreas externas que possibilitem a infiltração das águas das chuvas no solo
8. Arquitetura que propicie o uso da iluminação natural durante o dia, evitando que lâmpadas sejam acesas
9. Uso de materiais que assegurem isolamento térmico, pois irá diminuir o uso de equipamentos de ar condicionados (em tetos e paredes)
10. Aquecimento solar da água de chuveiro, eliminando o uso de chuveiros elétricos

Recomendado para você