As maiores besteiras que você pode fazer em um carro


Alguns retoques e ajustes no automóvel são bastante úteis para sua segurança, porém outros são completamente desnecessários e prejudiciais. Por isso, listamos algumas prática nada saudáveis que muitos motoristas fazem no veículo:

Dirigir com banco reclinado
Há quem acredite que guiar um carro praticamente deitado o faz parecer legal e estiloso. Porém, as consequências de se dirigir são enormes. Por motivos óbvios, dores nas costas serão inevitáveis, além da dificuldade de visibilidade, já que os olhos ficarão numa altura abaixo da ideal.

Além de que é muito perigoso! O jogador brasileiro chamado Dener chegou a sofrer um acidente e falecer. Ele estava deitado no banco do passageiro de seu Mitsubishi Eclipse e foi sufocado pelo cinto de segurança, após o carro bater contra uma árvore.

Carros rebaixados
Existem profissionais que buscam o máximo de performance e melhorar o motor do carro. Os especialistas dificilmente erram na hora de adequar os freios e a suspensão. Mas há pessoas que destroem toda a dinâmica do carro a favor apenas do estilo, sem compromisso nenhum com a segurança.

Você já deve ter visto algum carro rebaixado, se arrastando pelas ruas. Aqueles que não têm a mínima condição de passar por uma valeta ou lombada sem raspar o assoalho do carro, além de prejudicar o fluxo do trânsito. Além disso, um carro assim não tem condição de pegar uma estrada com segurança. A não ser que rode na mesma e vagarosa velocidade que está acostumado a rodar no ciclo urbano.

Pneus fora da medida original
É possível instalar rodas com mais polegadas de diâmetro, mas as laterais dos pneus terão que ser menores, para poder manter o mesmo diâmetro do conjunto. Porém, fora desta regra a direção fica mais pesada, o consumo de combustível aumenta e o alinhamento do carro nunca mais será, o que ocasionou desgaste acima do normal.

Uso desnecessário de faróis auxiliares

É comum vermos motoristas dirigindo seus carros à noite apenas com as luzes de posição ligadas e os auxiliares acesos, sejam eles de neblina ou de longa distância.

Só que as luzes de posição não iluminam nada, assim como os faróis auxiliares – que ofuscam quem vem no sentido contrário e só servem sob condições que o próprio nome já diz. Quem faz o papel de iluminar a via de forma correta são os faróis baixos, que tem fachos assimétricos para não ofuscar quem vem no sentido contrário.

Uso exagerado do fumê
Há quem diga que sentem mais seguros contra assaltos, além do conforto de bloquear boa parte dos raios solares. Mas sabemos que, por lei, o vidro da frente deve permitir passar até 75% de luminosidade; os vidros laterais dianteiros devem permitir passar até 70% de luminosidade; e apenas os laterais traseiros e o traseiro podem ser mais escuros e permitem passar até 28% de luminosidade. A escassa fiscalização faz com que muitos usem nos vidros películas muito escuras, inclusive no para-brisa.

Limitadores de cinto de segurança
O cinto de segurança foi projetado para manter o corpo preso ao carro em uma colisão ou até mesmo em uma freada mais brusca. Ou seja, trata-se de um equipamento de grande importância para o veículo. Só que alguns se sentem incomodados com ele, e acabam limitando o movimento do cinto para ficar mais solto.

Só que aí, onde fica a segurança? Em uma colisão, a ação do cinto não será a mesma e poderá ser a diferença entre sobreviver ou não ao acidente.

Fonte: Carsale

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − quinze =